A Sombra do Vento, Carlos Ruiz Zafón

a_sombra_do_vento

Autor: Carlos Ruiz Zafón

Romance / Literatura Espanhola

Editora: Suma de Letras

Páginas: 399

Ano: 2007

[comprar]

A Sombra do Vento foi, e continua sendo, um dos melhores livros que já tive o prazer de ler. Portanto, sua escolha para a estreia desta coluna não foi à toa. Após ter lido todos os outros livros do autor, recentemente o reli e me encantei tanto quanto na primeira leitura. Zafón tem o dom de fazer magia com as palavras, que mais parecem flutuar em uma harmonia fascinante.

O livro nos conta a história do jovem Daniel Sempere que é levado por seu pai a um lugar mágico e secreto, o Cemitério dos Livros Esquecidos, onde deve encontrar um livro para salvar. Eis que surge A Sombra do Vento e seu misterioso autor, Julian Carax, que mudará para sempre a vida de Daniel. O garoto sai em busca da verdade e descobre que Julian Carax desapareceu e teve seus livros destruídos. Todos!

Nessa busca, Zafón embaralha a vida de Daniel com a de Julian e seu livro de uma maneira espetacular, que deixa o leitor curioso, tenso, apreensivo e maravilhado. São muitas histórias paralelas, muitos personagens, amores platônicos, amores proibidos e amores arruinados. São histórias que parecem que jamais irão se entrelaçar, mas que em algum ponto se encontram e deixam boquiaberto o leitor.

Fala de amor, ódio, ressentimentos, medos, coragem, arrependimentos, assassinatos, traições, incesto, paixões. Fala com tanta verdade que temos certeza que aqueles personagens existiram em toda sua glória e decadência. Ambientada na triste – porém sempre encantadora – Barcelona de 1945, Zafón mistura sensações. Mistura pureza e ruindade, malícia e inocência, declínio e vivacidade, maldade e benevolência. Mistura as Barcelonas das décadas de 20, 40, 50.

Ele é denso, gótico, cheio de adjetivações e exageros. É poesia em prosa, feitiço em forma de palavras. A escrita de Zafón ora grita, ora sussurra, mas sempre arrebata. É um livro que fala sobre o poder dos livros e seus apaixonados. E se você é um deles, não tem como não amar e não gravar para sempre na memória o incrível Cemitério dos Livros Esquecidos. Recomendo de olhos fechados!

5 Estrelas

Comprar [aqui]

***
Quadrilogia O Cemitério dos Livros Esquecidos (Os livros podem ser lidos de forma independente, mas sugiro que sejam lidos na ordem de lançamento)

#1 – A Sombra do Vento (2001) [comprar]

#2 – O Jogo do Anjo (2008) [comprar]

#3 – O Prisioneiro do Céu (2011) [comprar]

#4 – O labirinto dos espíritos (2016) [comprar]

“Cada livro, cada volume que você vê, tem alma. A alma de quem o escreveu, e a alma dos que o leram, que viveram e sonharam com ele. Cada vez que um livro troca de mãos, cada vez que alguém passa os olhos pelas suas páginas, seu espírito cresce e a pessoa se fortalece.”

“Cresci no meio dos livros, fazendo amigos invisíveis em páginas que se desfaziam em pó cujo cheiro ainda conservo nas mãos.”

“O coração da fêmea é um labirinto de subtilezas que desafia a mente grosseira do macho trapaceiro. Se quiser realmente possuir uma mulher, tem de pensar como ela, e a primeira coisa é conquistar-lhe a alma. O resto, o doce envoltório macio que nos faz perder o sentido e a virtude, vem por acréscimo.”

Sinopse: A Sombra do Vento é uma narrativa de ritmo eletrizante, escrita em uma prosa ora poética, ora irônica. O enredo mistura gêneros como o romance de aventuras de Alexandre Dumas, a novela gótica de Edgar Allan Poe e os folhetins amorosos de Victor Hugo. Ambientado na Barcelona franquista da primeira metade do século XX, entre os últimos raios de luz do modernismo e as trevas do pós-guerra, o romance de Zafón é uma obra sedutora, comovente e impossível de largar. Além de ser uma grandiosa homenagem ao poder místico dos livros, é um verdadeiro triunfo da arte de contar histórias. Tudo começa em Barcelona, em 1945. Daniel Sempere está completando 11 anos. Ao ver o filho triste por não conseguir mais se lembrar do rosto da mãe já morta, seu pai lhe dá um presente inesquecível: em uma madrugada fantasmagórica, leva-o a um misterioso lugar no coração do centro histórico da cidade, o Cemitério dos Livros Esquecidos. O lugar, conhecido de poucos barceloneses, é uma biblioteca secreta e labiríntica que funciona como depósito para obras abandonadas pelo mundo, à espera de que alguém as descubra. É lá que Daniel encontra um exemplar de “A Sombra do Vento”, do também barcelonês Julián Carax. O livro desperta no jovem e sensível Daniel um enorme fascínio por aquele autor desconhecido e sua obra, que ele descobre ser vasta. Obcecado, Daniel começa então uma busca pelos outros livros de Carax e, para sua surpresa, descobre que alguém vem queimando sistematicamente todos os exemplares de todos os livros que o autor já escreveu. Na verdade, o exemplar que Daniel tem em mãos pode ser o último existente. E ele logo irá entender que, se não descobrir a verdade sobre Julián Carax, ele e aqueles que ama poderão ter um destino terrível.

4 respostas em “A Sombra do Vento, Carlos Ruiz Zafón

  1. Já tinha lido sua resenha pra Sombra do Vento e é claro que não podia deixar de comentar aqui, Zafón foi espetacular na escrita e vc descreveu com perfeição tudo que sentimos quando lemos. Sempre indico este livro!

    Curtir

  2. Pingback: O Palácio da Meia-Noite, Carlos Ruiz Zafón | Histórias de Papel

Deixar um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.