A vida do livreiro A.J.Fikry, Gabrielle Zevin

a vida do livreiro ajfikry

 

Autora: Gabrielle Zevin
Ficção Realística / Livros sobre Livros
Editora: Paralela
Páginas: 192
Ano: 2014

 

Saiu hoje o resultado do Goodreads Choice Awards 2014, com os livros vencedores de cada categoria na importante votação popular que acontece uma vez por ano no GR. Na categoria Ficção, A vida do livreiro A.J. Fikry ficou com o 3° lugar.

A vida do livreiro A.J. Fikry chamou a minha atenção justamente pela palavrinha mágica livreiro. É natural que as pessoas que gostam de ler se interessem por livros que falam de livros, e aí minha imaginação já entra em parafuso e começo a ver magia para tudo quanto é lado, começo a imaginar uma bela livraria, uma pequena cidade e muitos leitores apaixonados. Bem, não é por aí que esse livro se desenrola, ele é realístico e pé no chão.

A.J. Fikry é o dono da única livraria de Alice Island, a Island Books, e está amargurado, de mal com a vida, sofrendo pela morte de sua mulher. As vendas vão mal e A.J. não se importa muito, continua rabugento. Até que um certo dia encontra algo no chão de sua livraria que vai mudar sua vida e fazer com ele se abra para a possibilidade de amar novamente.

A história é daquelas completamente plausíveis, daquelas que você até relaciona os personagens com pessoas que você conhece de tão real e corriqueira que ela é. Não tem firulas, enfeites e confetes. Não tem grandes mistérios, reviravoltas, amores arrebatadores nem nada. Ela é simples e é aí que está sua beleza.

A.J. é um personagem que você aprende a gostar ao longo do livro. Adorei o cinismo que a autora imprimiu no seu gosto literário e a maneira que ele se orgulha em criar Maya para ser uma nerdMaya é, para mim, a personagem central e me conquistou completamente com sua fofura e esperteza. Amelia também tem seu charme, tem uma paixão especial pelo que faz e uma simplicidade e carisma que envolvem o leitor.

Dos secundários, Ismay não me cativou, mas Lambaise é tão, mas tão típico que não tem como não simpatizar com ele. É aquele delegado que, bem, não lia, mas que de tanto aparecer na livraria e ter que comprar livro por um certo motivo, passa a lê-los para não desperdiçar o dinheiro gasto. Claro, encontra seu gênero literário favorito (ou se encontra nele) e passa a ser um leitor voraz. Daniel Parrish, apesar de não ser envolvente (e nem era a intenção da autora, talvez), é muito bem construído e tem um certo clichê, acredito eu, inerente a muitos escritores.

A escrita é…digamos…esquisita, mas não em um mau sentido. É difícil explicar, pois ao passo que me diverti bastante também achei um pouco…marcada demais. Não é que seja ruim, só não é comum, é como se fosse pausada. Boa, gostosa, mas, ao mesmo tempo, um pouco seca.

A edição brasileira tem alguns erros de revisão bem grosseiros, nada que atrapalhe demais a leitura – mas sentimos falta do capricho, não é verdade?

No geral, A vida do livreiro A.J. Fikry é uma leitura agradabilíssima, incrivelmente realística e um tanto divertida. É daquelas histórias para se ler em uma sentada, em um domingo à tarde, comendo pipoca. Tem um quê de tristeza, mas tudo é colocado de uma forma bem natural e bonita, demonstrando que a vida segue seu caminho, seu ciclo, que ela se renova e continua. Não superou minhas altas expectativas, mas, sem dúvidas, recomendo para todos aqueles que amam livros que falam de livros.

3.5 corações

4 Estrelas

a vida do livreiro

Sinopse: Uma carta de amor para o mundo dos livros “Livrarias atraem o tipo certo de gente”. É o que descobre A. J. Fikry, dono de uma pequena livraria em Alice Island. O slogan da sua loja é “Nenhum homem é uma ilha; Cada livro é um mundo”. Apesar disso, A. J. se sente sozinho, tudo em sua vida parece ter dado errado. Até que um pacote misterioso aparece na livraria. A entrega inesperada faz A. J. Fikry rever seus objetivos e se perguntar se é possível começar de novo. Aos poucos, A. J. reencontra a felicidade e sua livraria volta a alegrar a pequena Alice Island. Um romance engraçado, delicado e comovente, que lembra a todos por que adoramos ler e por que nos apaixonamos.

7 respostas em “A vida do livreiro A.J.Fikry, Gabrielle Zevin

  1. Olá!
    O plot desse livro não me chamou a atenção a ponto de eu desejar esse livro. Pode ser até falta de atenção minha mas eu não entendi muito bem qual o papel dos personagens secundários dos livros, apesar de você cita-los na resenha eu tive a impressão de que eles são… apagados.
    Confesso que adorei a capa, ela é bem simples e tem uma mistura de cores que não cansa, em tons pastel. Talvez se eu entrasse em uma livraria compraria apenas pela capa.

    Beijos.
    Blog Cantar Em Verso

    Curtir

    • Silviane, realmente não é um livro para se encantar e tal, é uma leitura gostosa, principalmente por ser ambientado em uma livraria. É uma ficção realística, e talvez por isso os personagens secundários sejam “apagados”. Os que citei são parentes ou amigos dos protagonistas, personagens que frequentam a tal livraria. Prefiro citar sempre menos que a sinopse, para não tirar a graça de quem vai ler, e se eu lhe contar sobre um personagem específico é um certo spoiler rsrs
      Se chegar a ler, espero que goste da leitura! :))

      Curtir

  2. Adorei a resenha!
    Minha opinião é bem parecida com a sua.
    Foi divertido ver o delegado começar a gostar de livros e montar o clube!

    Curtir

Deixe uma resposta para Gaby Marques Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.