Tags

, , , , , ,

o lado feio do amor ugly love
Autora: Colleen Hoover
New Adult / Romance
Editora: Galera Record
Páginas: 336
Ano: 2015

 

Lido e resenhado em Agosto de 2014, pelo original Ugly Love. O Lado Feio do Amor será lançado no Brasil esse mês e, portanto, merece destaque por aqui 😉

Como falar de um livro da Colleen sem parecer uma adolescente-fantática-ensandecida delirando pelo seu ídolo? Não, não sei como. Não consigo só gostar das suas histórias, simplesmente. Eu as amo intensamente, cada uma delas, cada detalhe, e elas levam sempre um pedacinho de mim, me emocionam, me empolgam, me conquistam, me ganham… Colleen Hoover, my queen, you did it again! O lado feio do amor – Ugly Love é lindamente delicioso.

Não sei o que eu esperava desse livro, mas certamente não era o que li. A autora definitivamente saiu da sua zona de conforto do young adult e escreveu brilhantemente uma história para um público mais maduro do que estava habituada.

A história começa com Tate Collins se mudando para São Francisco para o apartamento de seu irmão, Corbin, piloto de uma companhia aérea, onde pretende ficar até encontrar um lugar só seu. É lá que ela conhece o também piloto Miles Archer, amigo e vizinho de seu irmão. Miles e Tate, em seus vinte e poucos anos, têm algo em comum: além da forte atração que sentem um pelo outro, eles não querem se envolver com ninguém. Tate está focada em sua carreira; Miles não quer amar ninguém, nunca…nunca mais. Ninguém! Então, eles fazem um acordo.

Não se enganem com a aparência de enredo comum ou batido, pois a autora sabe como lhe tocar lá no fundo da alma. Começa com a leveza de sempre, divertido e apaixonante, com aquele flerte que só a Colleen consegue deixar tão sexy, tão “suspirante”, tão cheio de tensão e expectativas. Contudo, você sabe que o drama vai chegar, e ele chega sem piedade.

A história é contada em primeira pessoa, intercalando passado e presente, sob os pontos de vista de Tate e de Miles. São duas histórias contadas em paralelo que fez meu coração palpitar mais depressa, que me deixou curiosa e tensa. Sempre falo que essa autora me tira o ar e, por mais repetitivo que pareça, não vejo como não dizê-lo, já que é exatamente assim que fico durante a leitura. Sem ar. Completamente sem ar! Sabe aquela vontade de parar e sugar o ar profundamente porque a última respirada lhe deu a impressão de ter sido curta demais, insuficiente demais? Chamo de Efeito Colleen: Mãos suadas, palpitação, falta de ar, olhos cheios d’água, boca seca…

Miles. É o personagem central. Sério e responsável, vai fazer você suspirar de amores e morrer de aflição. Sofri com ele e por ele, muito, muito, muito. Quis abraçá-lo, colocá-lo no colo, confortá-lo. Quis saber ansiosamente o que tinha acontecido para que ele se fechasse tanto, sangrasse tanto, repulsasse tanto o amor, se negasse tanto. Amei-o com todo meu coração – mas também quis esmurrá-lo em alguns momentos.

Tate. Perseverança é seu nome, esperança, sobrenome. Tate é forte e fraca, é real, crível, palpável. Tate não desiste, insiste, não se esconde, não se envergonha. Ela tenta, erra, se engana, sofre, chora, luta, ama. Como não se identificar com ela?

Rachel. Primeiro eu tive ciúmes, muito… depois, gostei dela. Então, sofri com ela e a entendi. Até que tive raiva e quis culpá-la. Por fim, a perdoei. 😉

Corbin. Os personagens secundários da autora são sempre feitos com esmero, e com Corbin não foi diferente. Eu o adorei! Adorei o amigo que ele era para o Miles e o irmão mais velho e demasiadamente protetor para a Tate. Adorei como o ciúme e suas atitudes foram tão bem mensurados. Yeah, Corbin! As pequenas discussões entre os irmãos e os amigos foram um deleite à parte.

Cap. Não poderia esquecer desse sábio velhinho, mesmo que ele tenha sido “apenas” o cara que aperta o botão do elevador. Cap foi fundamental!

Esse livro é mais do que uma historinha de amor, é mais do uma historinha de duas pessoas que se apaixonam, é mais, é muito mais. É impactante! É sobre a vida e o quão feia ela pode ficar, o quanto ela pode machucar; é sobre a sensação de culpa que sufoca, penaliza e rouba a esperança, rouba os sonhos, a felicidade e os sorrisos daqueles que a carregam. É sobre o medo de sofrer e de fazer sofrer, sobre o medo de errar.

Ugly Love nos mostra que quem ama espera, acredita, persevera, mesmo que isso lhe doa imensamente. Quem ama escuta o coração e sonha que tudo um dia pode ser diferente, que você pode fazer o feio voltar a ser belo, que você pode trazer brilho aos opacos olhos de quem há muito já não crê na felicidade.

É, talvez, o mais simples, menos ambicioso e menos dramático de seus livros, mas não menos encantador. Como não recomendar um livro que faz você ouvir cada risada dos personagens, que faz você sentir cada respiração, cada som ofegante de paixão? Como não recomendar uma história que você escuta o estalar dos lábios se tocando, o barulho dos beijos calorosos e dos grunhidos involuntários? Recomendo, recomendo mil vezes… O amor vale a pena, vale o risco, e ele, e só ele, permite que a dor se apazígue, só o amor pode deixar tudo belo de novo. Espero que vocês gostem tanto quanto eu, sofram e chorem tanto quanto eu, sorriam e amem tanto quanto eu.

5 corações 4 Estrelas

ugly love o lado feio do amor

Sinopse: O Lado Feio do Amor – Quando Tate Collins se muda para o apartamento de seu irmão, Corbin, a fim de se dedicar ao mestrado em enfermagem, não imaginava conhecer o lado feio do amor. Um relacionamento onde companheirismo e cumplicidade não são prioridades. E o sexo parece ser o único objetivo. Mas Miles Archer, piloto de avião, vizinho e melhor amigo de Corbin, sabe ser persuasivo… apesar da armadura emocional que usa para esconder um passado de dor.O que Miles e Tate sentem não é amor à primeira vista, mas uma atração incontrolável. Em pouco tempo não conseguem mais resistir e se entregam ao desejo. O rapaz impõe duas regras: sem perguntas sobre o passado e sem esperanças para o futuro. Será um relacionamento casual. Eles têm a sintonia perfeita. Tate prometeu não se apaixonar. Mas vai descobrir que nenhuma regra é capaz de controlar o amor e o desejo.