Tags

, , , , , , ,

 

 

 

 

Autor: Roald Dahl
Lit. Infantil
Editora:WMF Martins Fontes
Páginas: 264
Ano: 2010

 

♣Resenhado a partir da leitura do livro original, em inglês. 

Assisti Matilda muitas e muitas vezes quando criança e outras tantas vezes já grandinha. Era o filme predileto da minha irmã e um dos meus favoritos também. Lindo, cheio de magia, com uma garotinha super carismática e uma professora que todo mundo queria ter tido. Ok, era “só” isso… até eu descobrir que Matilda surgiu de um livro. Wow! Como eu não sabia disso?

Mais que isso, descobri que quem o havia escrito era o mesmo autor de A Fantástica Fábrica de Chocolate, Roald Dahl, e, portanto, criador de Willy Wonka, um dos meus personagens favoritos. Não perdi mais tempo, mergulhei na história.

O livro conta a história de Matilda, uma garotinha super inteligente que, totalmente negligenciada pelos pais, aprende a ler sozinha na biblioteca perto de sua casa. Quando ela finalmente vai para a escola, sua professora, Miss Honey, percebe que Matilda não é como os outros alunos. Afinal, que menina de cinco anos você conhece que já leu Dickens e Faulkner? Além de tudo, Miss Honey descobre que Matilda tem certos poderes mágicos.

O livro todo é uma delícia, infantil sem ser bobo, bem escrito e com bom vocabulário. Quando me dei conta, estava lendo com aquela voz de narrador de histórias infantis, cantando e contando para mim mesma as aventuras de Matilda e seu amor pela leitura.

É inevitável compará-lo com o filme e fiquei impressionada em quão fiel ele foi ao livro. Claro, há algumas diferenças. Aliás, nem diria diferenças, mas acréscimos. O filme tem alguns detalhes e cenas que não existem no livro, como a da caixa de bombons. Eu adoro essa cena e seu significado, portanto senti sua falta no livro.

Sem dúvidas, Matilda já é um clássico, atemporal, que fascina leitores de todas as idades e merece ser repassado de geração em geração.

 

HdP - Selo Crescidinhos HdP - Selo Família

 

 

 

 

 

Sinopse: Matilda adorava ler. Passava horas na biblioteca, lendo um livro atrás do outro. Mas, quanto mais ela lia e aprendia, mais aumentavam seus problemas. Os pais viam televisão o tempo todo e achavam muito estranho uma menina gostar tanto de ler. A diretora da escola achava Matilda uma fingida, pois ela não acreditava que uma criança tão nova pudesse saber tantas coisas. A história de Matilda até que poderia ser triste. Mas Roald Dahl conta as coisas de um jeito tão absurdo e exagerado, inventa tantas travessuras e aventuras malucas, que tudo acaba ficando engraçado.